*~* FELIZ NATAL *~*

Lamechas*4

Pois é, por cá a minha vida está a girar em torno do meu umbigo (literalmente).
E não posso, não posso mesmo, deixar passar esta fase sem colocar um link aqui para um vídeo do youtube que me fez derramar uma lágrima (ok, mais do que uma).
É lamechas elevado à 4º potência mas não quero saber.

Fim-de-semana passado

Este fim-de-semana que passou, experimentámos pela 1ª vez a massa de moldar caseira.
Foi um sucesso.

Ingredientes: Farinha, água e detergente da louça.
4 medidas de farinha
1 medida e 1/2 de água
Detergente loiça
Colocar a farinha com um pouco de detergente da loiça, acrescentar a água e detergente até a massa não colar aos dedos. Podemos colocar corante para fazer massa de várias cores.
Deixar a criança moldar à vontade. Deixamos o boneco secar. Podemos levar ao forno para cozer, se não endurecer o suficiente.

Ainda não tive coragem de fazer a massa mágica:
Utilizar pratos que podem ser descartáveis
Farinha maizena
Água
Põe-se um pouco de farinha no prato e um pouco de água. Dilui-se a farinha de modo a não ficar muito líquida, tipo mousse chocolate.
É mágica porque “solidifica" em contacto com as mãos (ex: quando a criança aperta) e depois liquidifica (quando a criança abre as mãozinhas). É mágica também porque suja tudo e é ver o sorriso de alegria do pequeno.

Aqui outras ideias que irei aproveitar um dia destes.

Ficam prometidas para breve umas fotos do papel manteiga com os desenhos do P. que serviram de papel de embrulho das prendas de Natal (de algumas).

JM

Hoje, à hora de almoço (13:20), toca o telemóvel:

- Boa tarde. MJL?
- Sim, sou eu. É a enfermeira A.?
- Sim. Liguei para lá e eles deram-me o resultado da amniocentese.
- Está tudo bem, não é?
- Sim, cromossomaticamente está tudo bem com o bebé. E o sexo já lhe disseram na ecografia?
- Sim, é um menino.
- Sim, confirma-se. Parabéns. Tudo a correr bem. Boas Festas.
- Obrigada, Srª enfermeira. Boas Festas.

Sim, Boas Festas!!!!!

Afinal quem disse quem não nascem putos? Para o ano vão ser uns quantos...

Só ontem é que soube.
Não que tivesse de saber antes (ou depois), calhou!
Só disse que só soube ontem, mas talvez só tenha sido dito ontem, não sei. Se assim foi, menos mal... tanto faz.
Oiço-o quase todos os dias da semana (excepto ao fim-de-semana, porque ainda não trabalhamos ao fim-de-semana) a caminho do meu glamoroso gabinete.
Só hoje, sim hoje, por que não me lembrei disso antes [pois porque este ano, nesta altura do ano, estou um pouco parada (demais) para o meu gosto (falo de trabalho, certo?)].
Só hoje, dizia eu, li este post de um bogue que quase nunca visito porque o oiço e isso basta, na maioria das vezes. E posso dizer que gostei, gostei muito de ler a boa nova, do senhor Markl que vai ser pai de um menino (seria o mesmo post se fosse uma menina, seguramente).

Se tiverem curiosidade espreitem aqui.

Este meu post serve apenas para deixar uma boa notícia, porque um bebé é sempre uma boa notícia, concordam?
Não queria ir de fim-de-semana e deixar o post anterior como "página de entrada".

Afinal, também tenho uma maravilha a crescer dentro de mim, e quando assim é, tudo assume outra perspectiva...

Jogos sem fronteiras


Fotografia retirada da www.

Algo que muitos já sabiam, outros desconfiariam... Donald Rumsfeld é considerado culpado. E muitos mais haverá, por lá, por cá.

"O acordo dado por Rumsfeld ao recurso a técnicas de interrogatório agressivas na base de Guatánamo (Cuba) foi uma causa directa para que os detidos aí sofressem maus-tratos", indica o relatório. O documento acrescenta que a atitude de Rumsfeld "influenciou e contribuiu para o emprego de técnicas conducentes a maus-tratos (...) no Afeganistão e no Iraque". Segundo o relatório, altos responsáveis da administração Bush, entre os quais Condoleeza Rice, então conselheira de segurança nacional e depois secretária de Estado, participaram nas reuniões sobre as técnicas de interrogatório endurecido desde a Primavera de 2002.

Já pensaram em quantas pessoas neste momento estão a ser vitimas de violência e de abusos?
Já pensaram como seguimos com a nossa vida como se isso acontecesse noutra dimensão?

Bernard Shaw terá escrito: O maior pecado para com os nossos semelhantes, não é odiá-los mas sim tratá-los com indiferença; é a essência da desumanidade.

Carta ao Pai Natal

Querido Pai Natal,
Olá sou eu.
Desta vez resolvi escrever-te uma "cartinha da nova era" com algumas prendas que ficavam tão bem no meu sapatinho.
Ora começemos:
- Um sling para o meu J. Estou embeiçada por este e por este.
- Uma almofada destas;
- Um avental destes;
- Um saco destes também vinha a calhar ou então este tão lindo, mas em produção ainda;
- Uma mantinha para bebé, desta menina.

[- Gostava deste colar, mas deixei escapar, já não há :S]

E é tudo.

:S

Isto há coisas que fogem à minha compreensão de tão parvas que são.
Hoje dei por mim a procurar uma informação que necessitava sobre crianças na www e dei com esta pérola (que coloco abaixo):

Como explicar o novo bebé a uma criança pequena.
Formas originais de contar a uma criança pequena uma gravidez.
• "Quando um homem e uma mulher gostam muito um do outro..."
• "Um dia, passou uma cegonha a voar..."
• "Quando Deus decide que o mundo precisa de mais um anjo..."
• "O Papá portou-se muito, muito mal."


A 1ª soa-me a algo normal, mas o resto, principalmente a última... ai!
Isto só pode ser humorístico, não?

For singing these tears

Esta música faz sentido por cá.
Home... e lambo as feridas.

Amanhã, serei outra.

Desilusão

Já houve algumas desilusões nestes 37 anos de vida. Umas maiores, mais profundas, que deixaram marcas dolorosas; outras mais pequenas, que foram sarando com o tempo.

Hoje, ingenuamente, foi o dia de mais uma.
Não posso dizer que tenha sido das maiores ou sequer das menores.
Foi, sim, uma desilusão que fez correr lágrimas.
Ontem, houve uma ameaça, hoje a concretização. A “espera” em si, a esperança vã da não concretização, deixou marcas.

Desiludimo-nos porque criamos uma ilusão na nossa mente, no nosso coração. Desiludimo-nos com os pequenos gestos, com as pequenas acções, com as palavras que são ditas, ou que não o sendo, ecoam sempre na nossa cabeça.

Dizemos para nós mesmos: Isso não tem importância. Há problemas e chatices tão grandes. Não percas tempo. Olha para o lado, finge que não vês.
Como eu gostaria de saber, de conseguir, fazer isso. De ser imune. De ser dura. Que as coisas fizessem ricochete ao atingir-me… melhor ainda, eu teria um escudo protector em meu redor.

A desilusão é como uma dor. Pode não ser forte mas é constante e provocadora. Não nos abandona ou pelo menos leva algum tempo até desvanecer completamente.

Hoje estou assim, metida para dentro, em posição fetal. De olhos fechados. À espera de acordar e de ver que é tudo um sonho mau, feio, mesquinho, desnecessário e injustificável.

O futebol por cá

Um serão televisivo ontem lá por casa.
Pois é, acreditem. Do melhor! Este programa só podia ter como apresentador um tipo do norte (carago!).

Espreitem o que vimos ontem: Eu, R., mais o J. que, de vez em quando, manifestava a sua aprovação com um pontapé. O P. ressonava na sua caminha (benza-te Deus filho, que para dormir e comer és uma maravilha).

Fim-de-semana com chuva

Fim-de-semana com muita chuva mas com pouco frio.
Uma viagem ao Algarve com direito a um dia no Zoomarine.
Domingo bem passado, com os miúdos entretidos e muita animação (que deu direito a uma sesta de quase 3 horitas, já no hotel, ao fim da tarde, à mamã, bebé na barriga e P.; foi uma maravilha!).
O tempo deu um sorriso na 2ªf (já com sabor a regresso) com algum sol, apesar das nuvens ameaçadoras.

:D :D :D

Desculpem, não resisto:
este post está demais...

A Passarele na TV

Vejo pouca, pouca TV.
Mas estou viciada, sim viciada, neste Project Runway que está na sua 5ª temporada.
Na minha opinião, as temporadas anteriores tiveram melhores estilistas, mas mesmo assim gosto bastante de seguir o "concurso".
A quem possa interessar, a minha concorrente favorita da presente temporada é Korto:
Mistura o conceito de reality show, com uma competição sobre criatividade, talento, sangue frio e muita, muita pressão.
A interacção entre os concorrentes não é mostrada com requintes de malvadez... é interessante ver como os concorrentes evoluem ao longo das semanas, em termos de trabalho e em termos de grupo.
Admiro quem se propõe a algo tão competitivo. Ser avaliado por gurus na área, expor-se ao público e, diariamente, trabalhar contra relógio e fazer peças tão bonitas.

Já deu para perceber que gosto de coisas criativas, que a moda é algo que me atraí e a que estou atenta. Não sigo tendências pessoalmente, mas gosto. Nisto sou muito girly sem o parecer (acho eu).

Quem apanha grandes secas é o R. :) [paciência é o que acontece quando só há um aparelho de TV em casa e quando eu recuso determinante ter mais algum. Lá em casa, em certas coisas, sou um bocadinho ditadora... mas só um pouco e em certas coisas, ok?]

Bem, e agora volto para o meu canto de papéis, números, relatórios e clientes... glamour é o que não falta aqui no escritório, muito glamour.

Brevemente

A não perder.

Constato que...

realmente tenho muito mau feitio: já tenho uma série de posts em que ameaço mandar alguém a algum lado.
Sou realmente uma peste. Uma PESTE.

Poupem-me

Já não posso mais.
Um dia mando alguém dar uma passeata.

Quando perguntam Então, é menina?, eu respondo Não, é um menino. De repente, uma cara de resignação como se a notícia fosse menos boa.
Não acredito que alguém possa ficar desiludido com a notícia do sexo do seu bebé.
Foi planeado, não foi? Feito com amor? Então, por quê "desejar" uma coisa ou outra?
Não consigo compreender quando me dizem Ah, mas é diferente. Sim, será diferente na medida em que um tem uma pila e outro um pipi... de resto, não gostamos dos nossos filhos pelo seu sexo, mas por serem nossos filhos, pelas experiências que nos proporcionam, por aquilo que nos ensinam, pela dádiva que eles são nas nossas vidas.

Se eu estivesse grávida de uma menina estaria mais feliz? Asseguro-vos que não.
Posso dizer, contudo, que iria perder mais rapidamente a cabeça com os vestidinhos e afins... será porque gostaria mais dela do que gostei/gosto do irmão? Asseguro-vos que não.

Esta situação, ao que sei só se passa ou será mais comum entre mães de rapazes. Se alguém tiver 2 ou mais meninas acho que este tipo de comentário não é tão frequente.
Conseguem explicar isto?
Sim, a imagem da relação nora/sogra que ainda persiste em ser negativa, a imagem de que nós mulheres damos-nos mal umas com as outras (especialmente se ela for a mãe do nosso companheiro ou a mulher do nosso filho). Novamente, é como eu digo, nós mulheres somos as nossas piores inimigas.
Desejamos Filhas umas às outras para não ficarmos desamparadas no fim dos nossos dias. É algo triste, não acham?

Quando há algum tempo atrás comentei com uma amiga que o meu desejo seria ter 3 filhos o comentário foi Ah, à procura da menina. Vais ver à 3ª tens sorte.
Desculpem, à 3ª tenho sorte? Inacreditável.

Por mim, venham meus meninos, que adoro-vos.

Variações

António Variações.
Hoje faria 64 anos.

Recordo a primeira vez que o vi na TV. Talvez num programa do Júlio Isidro.
Recordo os comentários velados que só percebi mais tarde.
O "choque" de um artista diferente num Portugal pequenino e virado para o seu umbigo, que de revolucionário apenas tinha os senhores de camisa aberta e pêlo no peito a gritar palavras de ordem anacrónicas.
O que é facto é que mesmo quem não gostava passou a gostar.
Quebrou o preconceito de alguns, de alguns que se reviram nas suas palavras.
E estas perduram.

Estou Além
(...)
Vou continuar a procurar o meu mundo, o meu lugar
Porque até aqui eu só

Estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou


Neste mundo há muitas variações, todas elas importantes. Mas só há um Variações.

Três anos e meio

Faz hoje 3 anos e meio que:
- deixei de dormir a noite toda sem qualquer sobressalto.
- deixei de sair do trabalho e fui dar uma "voltinha" sem qualquer preocupação.
- deixei de dizer "logo faço qualquer coisa para o jantar, uma sandes talvez".
- (...)

Faz também hoje 3 anos e meio que a minha vida ganhou um novo e melhor sentido.

De Sábado

Aprovado com distinção.

Gostou, vibrou e aguentou os 90m de filme.

Está um rapazinho...

E eu, deliciada, já tenho companhia para a bonecada cinematográfica :)

Sobre os últimos acontecimentos...

... na Índia:

O Ódio liga mais os Indivíduos que a Amizade
O ódio, a inveja e o desejo de vingança ligam muitas vezes mais dois indivíduos um ao outro do que o podem fazer o amor e a amizade. Pois está em causa a comunidade de interesses interiores ou exteriores e a alegria que se sente nessa comunidade - onde é muitas vezes determinada a essência das relações positivas entre os indivíduos: o amor e a amizade - é sempre relativa e não é em nenhum caso um estado de alma permanente; mas as relações negativas, essas são, a maior parte das vezes, absolutas e constantes. O ódio, a inveja e o desejo de vingança têm, poder-se-ia dizer, o sono mais ligeiro do que o amor. O menor sopro os desperta, enquanto que o amor e a amizade continuam tranquilamente a dormir, mesmo sob o trovão e os relâmpagos.

Arthur Schnitzler, in 'Relações e Solidão'

Um dia destes a coisa explode por cá

Hoje é um dia NÃO.
Por cá muita vontade de mandar uma pessoa à M****.

Isto ainda vai ter consequências... nomeadamente, quem sabe, uma baixa. Depois aí quero ver como é.

Adenda:
não se preocupem :) estamos bem, mas fartinhas. Como não quero falar para as paredes este local pareceu-me o mais indicado para vociferar.

Ao cinema

Para as crianças deste agregado (e desenganem-se, se pensam que só existe uma - o P. , há alturas em que somos três):


Madagascar 2: Já está prometido ao P. uma ida ao cinema. Será a 1ªvez. Vamos ver ...

*****

Para os adultos cá da casa (a contagem também depende das circunstâncias, mas... falemos de dois, vá):

Porque apesar do meu mau feitio sou uma rapariga que adora histórias fantásticas e impossíveis:

Um filme a não perder... The Curious Case of Benjamin Button.

Serei uma romântica?

Bizantisse?

Ontem teve início a Operação Natal 2008.

O processo consiste, em primeiro lugar, por elaborar a lista e essa lista tem como princípios:
- Incluir Família e Amigos mais chegados;
- Se os Amigos tiverem filhos/netos, as prendas são para os petizes e não para os adultos;
- Amigos sem filhos, recebem uma prenda para o “casal”;
- Para qualquer um dos elementos da lista falamos SEMPRE em pequenas lembranças.

Para já, a lista é composta por 37 elementos, depois há sempre aqueles de última hora (que “detesto”, por um lado, porque quem oferece em 1º lugar fica com a ideia de que não me lembrei dele/a, e porque dá-se início a um ciclo interminável do qual é difícil escapar para o resto da nossa vida).

Este ano por cá os embrulhos vão ser algo personalizados: em papel pardo, com desenhos/rabiscos e gatafunhos do P. e com uns motivos engraçados que adquiri para meu contento.

Confesso que a época Festiva que se aproxima nunca foi a minha altura favorita do ano. Agora toma outros contornos por causa do P. e para o ano já com o J. …

Quer isto dizer que não há nada que eu goste? Não, claro que há:
- Da ceia de Natal com uma mesinha composta (com a família)
- Dos filmes (antigos) de Natal
- Das decorações
- Ah, e depois os doces…

Parece-vos uma bizantisse da minha parte?
Ou seja, se retirarmos a loucura das compras desenfreadas e dos sorrisos/boa vontade (tão apregoados nesta altura) a época até é agradável, confesso.

Papel... Pardo

Caramba, alguém sabe onde posso comprar um rolo de papel pardo para os embrulhos de Natal?

Está difícil encontrar... agradeço dicas aqui na zona de Lisboa. Obrigada :)

Está tudo tranquilo...


Neste País todos tem a consciência tranquila.

Seja do BPN, BCP, Casa Pia, Fraudes, Corrupção, etc. ...

E sabem porquê?

Porque sabem que a Justiça é algo que demora.... e se demora, pá!

Demora tanto que quando está quase a não falhar... passa de prazo. Ou já não é notícia.

Esta coisa da Justiça é como os iogurtes.
(e há para todos os gostos: meio gordo/magro; cremoso/com pedaços... é só escolher).

A triplicar

Por cá crescemos:
· O P. cada vez mais um menino grande;
· O J. um bebé que já vai dando à mãe sinais de actividade intra-uterina;
· E eu, que nesta 2ª gravidez, aos 4 meses de gestação, já pareço ter uns 6 meses de gravidez. Dava jeito ter um guindaste para sair da cama, pelo menos.

Correspondência das semanas de gravidez como meses de gestação:

1 Mês: 4 semanas e 2 dias

2 Meses: 8 semanas e 4 dias

3 Meses: 13 semanas

4 meses: 17 semanas e 2 dias

5 Meses : 21 semanas e 5 dias

6 Meses: 26 semanas

7 Meses: 30 semanas e 2 dias

8 Meses : 34 semanas e 5 dias

9 Meses : 39 semanas

Filhos

Não me assusta o passar do tempo (para já). Não me assusta saber que se avizinham tempos em que ao espelho procurarei os sinais da minha juventude (para já). Não me assusta imaginar que um dia não haverá um próximo (para já).
O que me assusta?
Esquecer o rosto dos meus pequeninos, olvidar os pormenores das suas feições, à medida que crescem. O cheirinho dos seus corpos, as palavras inusitadas que despertaram espanto, risos e gargalhadas, por vezes contidas. Do tempo que passamos juntos.
Sofro por antecipação. Porque os filhos não são nossos, nós é que lhes pertencemos (até eles quererem).

Porque raio é que eu penso nestas coisas?

?

Há pouco tempo uma amiga minha, a T., dizia-me é pena não actualizares mais vezes o teu blog.
Confesso que fiquei surpreendida porque (e passo a enumerar):

1) Acho que o meu blog não é assim tão interessante. Eu, provavelmente, não regressaria a ele (é fácil de perceber porquê: porque não faço nada de interessante nem tenho uma vida particularmente interessante e, por outro lado, não abordo temas particularmente interessantes);
2) Este blog é mais um diário de bordo, para registar alguns acontecimentos marcantes da minha vida (que pouco dirão a quem não me conhece) e algumas coisas de que gosto particularmente e que trazem alguma alegria e cor aos meus dias;
3) Porque há coisas sobre as quais reflicto mas que, de tão pessoais que são, não poderei nunca partilhar com quem só me “conhece” daqui… e porque quem me conhece de outras lides poderia ficar “chocado” com algumas opiniões ou estados de espírito mais agrestes. No fundo sou uma cobarde meus amigos!

Menino

Afinal a amniocentese foi adiada uma semana, estou com menos tempo do que o incialmente previsto... está difícil de acertar com as contas.
Sinceramente, foi um balde de água fria porque estava pronta para "despachar" a coisa já, mas não pode ser... para a semana lá se repetirá o processo.

Mas tive uma boa notícia, já sabemos que é um Menino.
É o J. muito desejado e ansiado pelos papás.
O P. ganhou um mano para jogar à bola e brincar às obras.
Com 4 anos de diferença entre si os gostos irão estar, certamente, desfazados, mas conto que sejam dois reguilas muito amigos.

Eu estou FELIZ.

Em breve...



Fotos e trabalho de Catarina M. para explorar aqui.

Durante a próxima semana vou estar a gozar um dias de descanso. Irei fazer a amniocentese (ai!).
Dentro em breve saberei se o meu rebentinho é Menina ou Menino.
Para já é o meu bebé que cresce dentro de mim e que anseio por conhecer pessoalmente.
Quero que Abril (mês previsto do parto) chegue rapidamente. Desejo ardentemente preparar a sua chegada com todos os mimos necessários e desnecessários.
Gozo esta maternidade de uma forma diferente:
- porque não é a primeira vez que estou neste estado de graça;
- porque a minha atenção está direccionada para o P. que preenche os meus dias;
- porque não sei se esta será a última vez que experiêncio este estado... o que me deixa um pouco "nostálgica".
Em cima, as fotos de uns miminhos que gostaria de incluir no enxoval do mais pequeno elemento da família. Estou perdida de amores por eles e por outras maravilhas da Catarina M.
E uma música...

A ser verdade...

é no mínimo espantoso ... Do que o mundo (para já) se safou.

In Diário Digital
Sarah Palin pensava que África era um país
A candidata republicana à vice-presidência dos EUA, Sarah Palin, pensava que África era um país em vez de um continente, segundo elementos do staff da campanha de John McCain.
O pessoal da candidatura de McCain ficou chocado com a falta de conhecimentos da governadora do Alaska nos briefings, revelou o editor-chefe de política da conservadora Fox News, Carl Cameron.
«Ela não percebia, disseram-me membros do staff de McCain, que África era um continente e não um país e chegou mesmo a perguntar se a África do sul não era apenas parte de um país», disse Cameron no programa «The O'Reilly Factor».
Palin também não conseguia indicar os países envolvidos na NAFTA, a zona de comércio livre na América do Norte, um dos temas importantes da campanha, acrescentou Cameron.
As tensões entre a candidata e o staff da campanha de McCain aumentaram e por vezes as discussões acabavam com elementos do staff a chorar, revelou Cameron.

Não sabiam? Ficam então a saber que...

... é por causa de quem pode vir a ganhar 450€ mês que este país está na desgraça que está. Os patrões vão ter de depedir esse trabalhadores para poderem fazer face à crise.

*---*

Fora de ironias: quando esta notícia saiu a lume, pensei logo nisto, na ameaça de despedimentos que daí poderia surgir. Mas entre o pensar e achar que é justo vai uma grande distância.

Histórico


De facto não há para já melhor adjectivo para classificar a vitória de Obama.

Não esqueçamos que ainda nos anos 60/70 do século passado os negros americanos viviam num regime de aparthaeid.

Assim, para muitos ontem foi um dia histórico, um dia muito ansiado por tudo o que representa.

Não esqueçamos que Obama vai herdar uma presidência extremamente complicada, com uma crise financeira sem precedentes. Internamente, o processo de mudança irá certamente colocar-lhe muitos problemas. Em termos de política externa, estou confiante que a imagem dos EUA só pode melhorar. Fica a esperança... de quem não é americano.

Agora que a febre das eleições Norte Americanas vai acalmar, olhemos para nós próprios e ganhemos inspiração para os desafios que avizinham por cá.

4 de Novembro de 2008

Como será que 4/11 será recordado?
Ficará para a História dos EUA?

Faltam poucas horas para saber... até lá, esperamos.

Parabéns Mano

Hoje é outro dia de festa, o meu irmão faz anos (36) - estás a ficar velho, A.

O meu Mano é o tipo mais bonito do Barreiro e o mais bem disposto. Raramento o vejo menos bem e eu sei bem como por vezes isso não é verdade. É esse teu espírito positivo que admiro... mas de facto acho que a mãe e o pai se esqueceram desse condimento quando fizeram a 1ª filha. Sobrou para ti.

Não sei se sabes mas gosto muito, muito de ti.

E cuidado com o exercício a mais, com a idade temos de ser mais moderados com os esforços... :)

Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!

Festa em dose dupla

E hoje é dia de festa.

- Faço 37 anos (realmente o tempo voa)
- E a minha querida mãe também faz anos

Portanto, a festa é a dobrar.

Para a minha Mãe (com letra grande, sim) todo o meu amor e admiração. Quando crescer quero ser como tu. AMO-TE MUITO.

Afastar as más energias

Vamos lá dançar um pouco e afastar as más energias com a música que hoje roda em repeat por cá... não a vou ver ao vivo porque esta gravidez está a ser mais complicada e à noite com os enjoos já não há energia.

Familiar Felling (Moloko) - alegria a rodos e boas vibrações

You Know Me Better (a solo) - adoro o vídeo

E tal como este (concerto), assim ficaram outros dois pelo caminho, com muita pena minha.

Ansiedade

Ontem fui ao Hospital de Santa Maria tratar de assuntos de grávida que está quase a completar as suas 37 primaveras... ou seja, da amniocentese.
Primeiro a passagem pela enfermeira que mediu tensão, pesou e abordou ligeiramente a questão da amniocentese.
Passa depois para uma médica que fez uma data de perguntas, preencheu uma enormidade de papéis, que me informou detalhadamente da amniocentese e dos seus riscos e que finalmente me pediu a assinatura de um consentimento para o procedimento. Com isto já a manhã estava para lá do fim.
Depois, ir ao piso de cima marcar o exame (caramba, é já dia 11 de Novembro!) e depois aguardar por uma enfermeira (muito simpática) que me explicou, e a umas quantas mamãs, os cuidados a ter antes, durante e depois do procedimento. Os resultados serão comunicados por telefone até 3/4 semanas após o procedimento e seguir-se-á uma última consulta já em Dezembro para encerrar o processo.
Entretanto, alguém me explica como é que irei "sobreviver" às 3/4 semanas de demora entre exame e resultados?
Há umas semanitas atrás tudo isto parecia bem mais simples, agora estar a complicar-se cá por dentro...

A destempo...

Sinceramente esta "coisa" do Magalhães é um assunto com o qual ainda não perdi muito tempo... algum, pronto, mais não seja porque estou a fazer este post. E não perdi muito tempo porque ainda não tenho petizes em idade escolar, e porque ainda não fiz as contas de em quanto ficaria a brincadeira. Mas mesmo assim algumas dúvidas pairam neste meu cérebro que por vezes se liga ao, agora chamado, "mundo real":

- Para além do custo do equipamento os papás ou educadores terão de pagar os custos de acesso à net, certo? E quanto é que isso vai ser? Alguém já fez as contas? É que não acho que sejam as operadoras ou sequer o Estado a pagar isso... hum!

- E se as crianças deixarem cair o Magalhães? OK é resistente mas à 3ª deixa mossa ou não? E depois os papás desembolsam?

- E no caminho de e para a escola ou ATL, são as crianças que vão garantir a segurança do Magalhães? Os professores, os auxiliares? E em caso de dano/perda vão ser apuradas responsabilidades?

- Depois em sala, há tempo para os programas curriculares e para o Magalhães? As crianças vão levar aquele PC todos os dias? Para quê?

Não teria sido mais fácil, dotar as escolas com boas salas de informática e com horários rotativos para que todos os miúdos pudessem usufruir das tais 2 horas semanais?
Ninguém quer uma sociedade de info-excluídos, mas será que é essa a prioridade no combate à exclusão? Corrijam-me se estou a ver mal, mas este País está ele próprio a destempo

Bolas (de Manteiga)

Espero que o sol se mantenha este fim-de-semana para aproveitar ao máximo.

O fim-de-semana passado foi em cheio:
- Sábado, almoço no Meco no qual foi combinada, para o dia seguinte, uma caminhada na Mata da Machada que…
- (Domingo) … deu direito a piquenique improvisado com amigos e a lanche repleto de Bolas de Manteiga.

E, alguém sabe o que são Bolas de Manteiga? Se forem do Barreiro saberão seguramente.
É um bolo característico do Barreiro, e ao que sei, uma criação dos pasteleiros da antiga Boleira do Parque (perto do Jardim Catarina Eufémia).

Nesse Domingo muitas bolas de manteiga foram saboreadas por um grupo de 6 casais e respectivas “crias” que mais interessadas estavam em brincar do que em comer.

O que soube bem não foram as bolas de manteiga só por si, mas sim o bem-estar de gozar um fim de tarde em boa companhia. Venham mais destes.

Mais dos anos 80

Recordações musicais:

- Dead can Dance (esta, esta e esta)
- This Mortal Coil (esta e esta)

São demais

São quase 2.000.000 os portugueses pobres.
São demais.
Seremos o País europeu que mais tem feito nos últimos anos para minimizar este número, diz a Europa, mas mesmo assim estamos 2 pontos percentuais acima da média europeia.
Será que esses 2.000.000 ficam mais aliviados no seu dia-a-dia por saberem isto? Será que a ideia de daqui a 5 anos, 10 anos eles próprios poderem já não fazer parte desta contabilidade os ajuda?
E nós já nos imaginamos parte dessa contabilidade?

A pobreza não é só a falta de rendimento. A pobreza acarreta um peso social enorme de exclusão, de indiferença, de mais ou menos elaboradas estratégias de sobrevivência. Por isto e por muito mais não é um problema de 2.000.000 de portugueses. É um problema de cada um de nós, portugueses e não portugueses.

O post (des)necessário :D

(Steve McQueen)
(Paul Newman)
(James Dean)
(David Gahan)
(David Bowie)
(Brian Ferry)

Que me perdoe o meu R., a minha cara metade, mas hoje o meu post é sobre os senhores que sempre fizeram parte do meu imaginário, ou seja, aqueles que sempre achei que a idade só melhora e que serão sempre sexy’s.
Curiosamente nenhum com idade inferior a 40 anos e três deles já faleceram (kinky!?).
Três ligados à música (a minha paixão) e outros três ligados ao cinema.
Tentei fazer um Top 5 mas foi impossível não incluir estes 6 nomes.

Da Terra do Gelo e do Fogo

Há músicas que marcam momentos da nossa vida, que sempre que pairam no ar, são como máquinas do tempo.
Ultimamente muitas dessas músicas tem regressado ao meu dia-a-dia.

E hoje, por causa desta notícia de ontem, a eleita foi Bjork e especialmente estas duas músicas:
uma e outra.

Já comentei que um dos meus destinos de eleição é a Islândia? Esteve planeado para este ano mas ainda não foi desta...

O P. tem a sua preferência

O P. já sabe que irá ter um maninho ou maninha.
Confesso que adiei a “comunicação” da notícia.
Achei que ainda sem barriga que iria estar a antecipar muito a situação.
Mas após a 1ª ecografia na GO em que tudo se confirmou “estar bem para um bebé com 10 semanas”, acabei por dizer ao P. que iríamos ter um bebé.
Após uma carinha de relativa surpresa e de um sorriso lindo, surge a questão “Mas, o P. não gosta de ti?”. Fiquei assustada como a pergunta/observação, agarrei-me a ele e no meio de muitos beijinhos e abraços disse que sim, que ele é o meu príncipe.

Como explicar a uma criança tão pequena o desejo de ter mais filhos? Como fazer entender que o nosso amor por cada um deles é único e que não se esgota mesmo que a casa esteja cheia de crianças?

Recordo quando era pequena e tinha ciúmes do meu irmão (um ano mais novo). Desejava estar doente quando ele estava para ter o carinho da mamã por perto, ter tantos beijos como ele e a ideia de ter mais uma irmão ou irmã chegou a tirar-me umas horitas de sono.

Mas penso que, mais do que dizer por palavras, o que marcará a diferença será a nossa gestão da gravidez e dos primeiros meses após o nascimento do novo elemento.

De vez em quando surgem as pequenas questões que passam pela sua cabecinha:
No dia seguinte à “comunicação”:
P: Mãe, o mano vai brincar com os meus brinquedos?

Hoje, pela manhã, enquanto lavava os dentes:
P.: Mãe, eu quero um mano!
Eu: Mas a mamã e o papá não sabem ainda se é menino ou menina, quando soubermos dizemos, está bem?
P: Mas as meninas não jogam à bola…

Pois, acho que ele já tem preferência e alguns preconceitos jeitosos.

Por falar em má altura...


Ai! que me vai dar uma coisinha... (desafo de quem em Julho de 2009 não estará em condições para isto...)

Maria Deolinda



1) Donna Maria:

Estou rendida à voz, à música que mistura o presente com o passado.
Esta interpretação e esta arrepiam. E para mais temos o blog a espreitar.


2) Deolinda:

Para já rendida a Clandestino.
No myspace.

Aconselho

Já terei comentado que os meus tempos de leitora "de livros" há muito que passaram, foram ultrapassados por outros hobbies como as minhas tentivas de tricot, o meu interesse por algumas artes manuais que por vezes não desenvolvo, e pelas revistas que pululam lá por casa.
Revistas de bebés, de moda e de actualidade.
Uma delas é a Courrier Internacional.
Artigos de vários países, sobre os mais variados aspectos (economia, sociedade, arte/cultura...) e bem traduzida para a nossa lingua natal.
Vale a pena a ler.
Este mês a capa é elucidativa das discrepâncias existentes no mundo (uma jóia no mínimo sui generis).
Até o mais pequeno cá de casa ficou emudecido.

A Voz #2

Hoje estou virada para o que é nacional...

Manel Cruz, outra voz inconfundível.

Ouvi Dizer (Ornatos Violeta)
Ouvi dizer que o nosso amor acabou.
Pois eu não tive a noção do seu fim!
Pelo que eu já tentei,
Eu não vou vê-lo em mim:
Se eu não tive a noção de ver nascer um homem.
E ao que eu vejo,
Tudo foi para ti
Uma estúpida canção que só eu ouvi!
E eu fiquei com tanto para dar!
E agora
Não vais achar nada bem
Que eu pague a conta em raiva!
E pudesse eu pagar de outra forma!
(...)

Só Mais um Começo (Pluto)
(…)
Vamos levando até quando for desejo do desejo
Vai dizendo hoje eu vejo que amanhã é a maior mentira
Eu não sei o que eu quero e é por isso que eu procuro.

A Voz

Reininho, a Voz.

Bem Vindo ao Passado, a música e a letra fazem desta canção a minha escolha de entre um repertório enorme dos GNR.

Já morri a morte certa
Já senti a fome, aperta a dor
Já bati à porta incerta
Viajei de caixa aberta, a dor.
Pecado, fundido, queimado.
Já desci lá em baixo ao fundo
Já falei com outro mundo e então
Já passei o limbo limpo
Já subi ao purgatório e vou.
Zangado, bem vindo ao passado
Pecado, arrependido, queimado.
(...)

A Lei do Eterno Retorno

Jeff Buckley, não é uma presença constante mas, ciclicamente, regressa e assim continuará a ser porque a sua música é especial, tão especial.

Ficam algumas músicas e delas as minhas estrofes preferidas pois Jeff Buckley foi um poeta.

Hallelujah
(...)
Maybe there's a God above
But all I've ever learned from love
Was how to shoot somebody who outdrew ya
And it's not a cry that you hear at night
It's not somebody who's seen the light
It's a cold and it's a broken Hallelujah

So real
(...)
We walked around til the moon got full like a plate
The wind blew an invocation and i fell asleep at the gate
And I never stepped on the cracks 'cause i thought i'd hurt my mother
And I couldn't awake from the nightmare that sucked me in and pulled me under
Pulled me under

Forget her
(...)
But don't fool yourself,
she was heartache from the moment that you met her.
My heart is frozen still as I try to find the will to forget her, somehow.
She's out there somewhere now.
Oh She was heartache from the day that I first met her.
My heart is frozen still as I try to find the will to forget you, somehow.
Cause I know you're somewhere out there right now

Grace
(...)
And she weeps on my arm
Walking to the bright lights in sorrow
Oh drink a bit of wine we both might go tomorrow
Oh my love
And the rain is falling and i believe
My time has come
It reminds me of the pain
I might leave
Leave behind


Everybody here wants you
(...)
I know the tears we cried
Have dried on yesterday
The sea of fools has parted for us
There's nothing in our way
My love
Don't you see, don't you see?
You're just the torch to put the flame to all our guilt and shame
And I'll rise like an ember in your name

Costurar, desejo aprender a costurar. E agora?

Olá, desta vez este meu post é um pedido de informação.

Tenho um desejo de há um tempo a esta parte: aprender a costurar.
Sim, é verdade, não estou a brincar.
Como neta de bordadeira acho que com o passar dos anos, aos poucos, aquilo que é feito manualmente (ou à máquina, no caso da costura) tem um elevado valor e importância para mim. Mas, antigamente era fácil, muitas meninas eram ensinadas por vizinhas, pelas mães... pois, comigo isso não aconteceu.
Penso que ainda iria a tempo de aprender uma coisitas.

Mas onde aprender? Alguém sabe?

3 3 3

O P. nasceu faz hoje 3 anos, 3 meses e 3 semanas.

E até hoje nunca registei como tudo aconteceu. Não importa o passar do tempo, nunca esquecerei os dias que antecederam o seu nascimento e a aventura da madrugada de 1 para 2 de Junho de 2005. Mas vistas bem as coisas, hoje apetece-me descrever sucintamente os factos mais marcantes:

- último CTG dia 31 de Maio 2005: tudo bem com o bebé. O toque revela um útero ainda muito verde. Veredicto da GO, cesariana em Santa Maria no dia 2 de Junho. NÃO!!!!!

- Dia 1 de Junho: comunico na empresa que no dia seguinte já não irei trabalhar, o P. vai nascer. Organizar as coisas em falta. Uma reunião ao fim da tarde. Regresso ao escritório às 19h com umas dores incómodas (é nervos, isto é nervos, dizia eu). Pus-me à estrada e de vez em quando uma dor… chegada a casa, duche… ligar à médica. Ir ao consultório assim que possível. Novo toque…. Hum isto é capaz de evoluir para parto normal, vai andar, comer qualquer coisa e regressa às 23h para vermos isso, diz a GO. Andei, andei, encolhia-me e punha-me de cócoras em plena rua principal do Barreiro… ai, ai. Veredicto da GO: vais para Santa Maria às 3 da manhã, eu entro às 9h da manhã e faço o parto.

- Madrugada de dia 2: em Santa Maria mais um toque, um CTG, ainda está muito demorado diz uma médica, regresse quando já não aguentar as dores. Eu digo ao R. aqui não fico, nem pensar. Fomos para casa (não relato a viagem de regresso, mas para terem uma ideia: 50 km/h mais ou menos na auto-estrada, eu berrava assim que o R. tentava acelerar, coitado).
Em casa, sem posição, andava pela sala… o R. tentava dormir. Às 6h manhã digo R. vamos para o Hospital do Barreiro, já não aguento mais.

- Dia 2 de Junho: sem dilatação, mas com o colo do útero já “apagado” dei entrada às 7h na maternidade do Hospital do Barreiro. Preparação. Box. Ligar o CTG, etc. Papá pode fazer companhia à mamã. O tempo não passava, a cada toque a pergunta, então Sr(a). Dr(a) como está tudo? Resposta: Ai filha, ainda muito demorado.

14h: já é possível a 1ª dose da epidural. A anestesista comenta: hum, não sei se isto ficou bem, alguma coisa mandem mensagem para o bip… passados uns bons minutos penso: não acredito, devo fazer parte daquela pequena percentagem de pessoas a quem a epidural não faz efeito, ora que sorte.

15h/15h30: desespero total. Penso não vou aguentar. Apesar das dores, o cansaço é que me estava a deixar ficar mal.

16h: uma enfermeira resolve falar com a anestesista. Segunda punção e… ah, abençoada pensei eu.

18h: bolsa das águas rebenta. R. toca a campainha, por favor. Passados uns breves minutos entram 2 enfermeiras, uma delas diz muito bem mãe já falta pouco, agora é fazer força quando dissermos. Mas eu fazia força mal, o cansaço não ajudou, mas o R. foi precioso, ajudou-me muito, muito.
Força mãe está quase, já o vi e tem muito cabelinho, diz uma enfermeira. E eu que idealizei o bebé sem cabelo… enfim! Força, força, força mas nada. Uma pequena “ameaça”, bem mais uma vez se não der vamos chamar o obstetra. E eu penso, então depois de tudo isto, fórceps ou ventosa? Não.

Às 18h45 nasce o P.
O R. viu-o primeiro.
Eu vi um pezinho… só depois a sua carinha.
Parecia um chinesinho com o cabelinho muito escuro.
O meu príncipe estava ali ao meu lado.

E o P. já tem 3 anos. O tempo voa. Que saudades do P. pequenino, mas todos os dias olho para ele e sei que ele será sempre o meu pequenino.
Algumas mães têm dificuldade em cortar o cordão umbilical... sou uma delas, confesso, não tenho pressa :)

Que tal um quadro lá para casa? Escolho este :)

George Seurat (1859-1891).
Esta enorme pintura data de 1886 e é maravilhosa.

Quercus Campanha

Um pequeno spot que, na minha opinião, está muito bem feito... O que acham?

Bastava um Sim ou Não...

Será que a questão era complicada?
Aparentemente não.
Complicada foi a tentativa da candidata a vice os "USA" tentar responder a algo que não sabia.
Mas, não vou atirar pedras... isto já me aconteceu, salvo erro, mais do que uma vez até (mas não fui filmada... ufa).

Pois é, não basta brilhar nem ter uma cara laroca e apresentar uma família "perfeita". Ter opiniões estruturadas sobre o mundo e a vida é essencial.

Por contraposição temos esta pérola do candidato democrata. Será que estou a ser tendenciosa????? Claramente!

Aviso à navegação

Já estou de regresso, mas a um ritmo lento.
Ontem comecei a trabalhar e vocês sabem como isso custa... o P. só hoje foi à escola, teve mais sorte pois gozou um dia extra com o pai e pelo que vi, na sua carinha laroca ao fim do dia, adorou.
Ficam prometidas uma fotos das férias para breve. Como já disse estou de regresso mas muito....l...e...n...t...a...m...e...n...t...e.

Férias - at last

Agora que o Verão está próximo do fim, agora que muitos regressam das férias, eu vou de férias.
Não me interessa que o Sol teime em esconder-se, que o tempo faça caretas, importa que vou sair por uns dias e que estarei de regresso a meio de Setembro.

Vou FELIZ!

Concertos de Outono em perspectiva...

- Peter Murphy - Dia 1 no Coliseu de Lisboa
- Sigur Rós - Dia 11 no Campo Pequeno

Sobre Peter Murphy (sobre quem ainda não tinha escrito - imperdoável) aqui estão algumas musicas para recordar:
All Night Long
Strange Kind of Love
Cuts You Up

O problema é serem no mesmo mês... talvez fique só por um. Agora QUAL?

Há pessoas que não têm mesmo NADA que fazer... por isso inventam

Ao que chegou a preocupação de algumas pessoas.
Como a série Dr House e Anatomia de Grey são pouco fieis à realidade da prática clínica exercida por médicos e enfermeiros por esse mundo fora, deve ser banida das TV's.

Pergunto:
- e séries como o CSI, X-Files, Lost... não deverão sofrer o mesmo tratamento?
- e os filmes de guerra que por aí andam não sofrem do mesmo mal?
- e os filmes de Ninjas e afins... acreditam mesmo que aqueles Srs/Sras voam tão levemente naquelas lutas? Eu acho que não.
- e, ia-me esquecendo... e o E-T?

Pergunta final: Será que temos de explicar aos Srs/Sras que exigem o fim de Dr. House e Anatomia de Grey que existe uma coisa chamada FICÇÃO??



Só mesmo isto para descomprir do post anterior...

Abjecto

Índia. A Fundação Uday suspeita que o maior hospital do país convenceu famílias dos bebés, pobres e analfabetas, a deixar submetê-los a testes gratuitos para laboratórios do Ocidente
A morte de 49 bebés cobaias no maior hospital indiano levantou a ponta do véu sobre o boom da deslocalização dos ensaios clínicos de medicamentos da indústria farmacêutica mundial. A morte destes bebés, em dois anos e meio, foi agora revelada pelo diário Times of India.


O administrador do Instituto das Ciências Médicas de Nova Deli, Shakti Kumar Gupta, disse à France- -Presse que "foi ordenado um inquérito interno" sobre os testes de produtos dos laboratórios suíços Roche e Novartis e do japonês Sankyo Pharma. Em Junho, a Fundação Uday para os defeitos congénitos e os grupos sanguíneos raros agarrou o caso graças a uma lei que dá ao cidadão indiano o direito de interrogar um organismo de Estado. O presidente daquela instituição, Rahul Verma, questionou o hospital público.

Desde 2006 que 4142 bebés (2728 menores de um ano ) foram submetidos a testes. Este reconheceu que "as 49 mortes foram registadas entre os bebés referenciados". Segundo Gupta, estes ensaios foram validados pelo comité de ética e são conformes às directivas. Sem especificar os problemas dos bebés, disse que "os falecidos estavam muito doentes".

A Fundação Uday pediu ao hospital a lista dos medicamentos administrados. O hospital revelou o Rituximab comercializado na Europa pela Roche, para pacientes com "linfoma não Hodgkin agressivo"; a substância Olmésartan para a tensão arterial, da Sankyo Pharma; e o Valsartan, da Novartis, dos EUA, para a hipertensão. "Não houve nenhum teste pediátrico com produtos da Roche na Índia", disse Claudia Schmitt, porta-voz do grupo em Basileia. Sem excluir que "se possa utilizar este Rituximab" no decurso de testes, a porta-voz da Roche francesa, Déborah Szafir, assegurou que "a Roche não o autorizou, nem deu, nem apoiou".

A deslocalização de testes clínicos é um caso a seguir. Calcula-se que este outsourcing valha 120 milhões de dólares em 2007, e cresça 25% ao ano. Até 2010, chegará aos dois mil milhões. Os testes são mais baratos entre 40 a 60% do que no Ocidente. Mas não explicam sozinhos o apetite dos laboratórios pela Índia. "É o mercado indiano que faz sentido", justifica Schmitt.

A Índia tonou-se terreno de testes sem limite pela diversidade da população e pelos batalhões de "doentes com patologias do coração e fígado, mais fáceis de encontrar do que no Ocidente para serem cobaias."
in DN Online

Há alguma possibilidade de comentar esta notícia? Há palavras para descrever este horror, esta miséria humana? Quem são estas pessoas (se assim as podemos chamar)?

Romântica e Alegre, hoje

Hoje, por cá, uma menina dos anos 80, agora uma senhora. Uma voz linda.
Esta toca-me cá dentro, nas entranhas.

Esta retrata o meu estado de espirito no dia de hoje :-)

E esta faz-me lembrar tanta coisa... very 80's.

Passem por aqui, acho que vale a pena.

Injustiças e afins

Há frases que uma vez ditas marcam acontecimentos, emoções, pessoas.
Umas são felizes e caem bem, outras o oposto.
Mas quem somos nós para julgar? Quantas vezes já não metemos o pé na poça? Atirem a 1ª pedra, pronto.
Lamento que Marco Fortes tenha sido trucidado por uma frase infeliz que disse após um momento de grande frustração, já basta de comentários maldosos. Essa frase é uma síntese da pessoa Marco Fortes? Não creio. Foi justo ele ter sido convidado a regressar mais cedo? Não!
O Sr. Comissário que afirmou demitir-se agora está a reconsiderar? Não será isto mais vergonhoso? Sim!

De MUITO mau humor

Isto está mau por aqui.
Ando com um humor péssimo (mais do que o habitual, quero dizer), implicativa e irritante.
Suspiro pelos cantos, às vezes apetece-me dar uns valentes tabefes a todos aqueles que inocentemente e sem intenção dizem ou fazem aquilo que não devem (no meu entender).
E para culminar, ontem fiz uma cena (in doors) de ciúmes ao R., acho que nunca tal tinha acontecido. Por isso aviso que não estou bem e que vou estar uns dias sem aqui vir... se é que isto interessa a alguém. Pessoalmente não me suporto. Irra!

Sobre os olímpicos... e não só

O que interessa são os resultados, o resto não interessa nada.

Espírito Olímpico no seu melhor

No passado dia 8 de Agosto, a China mostrou ao mundo o seu poder... de discriminação.
E o mundo rendeu-se a mais uma hipocrisia.

Uma frase batida...

Gosto, gosto muito desta música, de todos os aspectos que a compõem.
Povoa alguns momentos da minha infância em que tocava por casa de meus pais... marcou uma fase, hoje ouve-se com prazer e com a compreensão plena das palavras.

(...) hoje é o primeiro dia do resto da tua vida (...)

Das três, uma [ou então todas]

Não é irritante estar dependente dos meios de comunicação social para saber alguma coisa sobre o que se passa no mundo?
Será, provavelmente, algo irritante ou incómodo para alguns.
Para mim e para mais uns quantos, seguramente, é também irritante e incómodo ter a sensação que (pronto, lá dirão vocês, lá vem ela com a teoria da conspiração mais uma vez):
1) se sabemos alguma coisa, sabemos só em parte,
2) ou então aquilo que menos interessa,
3) ou então aquilo que interessa (a alguns) que se saiba.

Álvaro Marinho e Miguel Nunes seguem, em terceiro lugar

Pois é, estes velejadores merecem hoje o meu destaque pelas provas já deram, e pela boa prestação nestes jogos olímpicos, e por que são Barreirenses... :)
Que assim continuem.

Suryanamaskar...






















... ou se preferirem Saudação ao Sol.
A mais antiga coreografia de Yoga conhecida (cerca de 5000 anos).

Podemos praticar sempre, mas será melhor ao nascer do astro rei.

Um bom fim-de-semana.

Ontem, Portugal era outro local no mundo... ou talvez não

Temos esta ideia de que Portugal é um país de brandos costumes. Em que nada se passa ou então, quando acontece algo, que nada de estruturalmente significativo irá mudar, porque a mudança é algo de difícil gestão para o povo.
Mas ontem mudou, pelo menos a meu ver. Ontem, em directo, nas televisões assistiu-se a um triste acontecimento: um assalto que degenerou em rapto violento, e que terminou com dois dos reféns à porta com armas apontadas pelos sequestradores. Alguns minutos mais tarde, tudo acabava com um dos sequestradores morto, outro ferido e com os reféns aparentemente bem, pelo menos vivos e sem ferimentos graves (o resto não sei, mas não penso que seja assim tão simples).
Ontem, todos quanto assistiam às imagens televisivas poderiam ter visto alguém morrer, tal como nos filmes e nas séries que vemos diariamente, mas ontem aquelas pessoas não eram actores a representar um papel de bom ou mau.
Não concordo com a transmissão deste tipo de notícias, acho que isto não tem nada a ver com informação... tem a ver com outras coisas, entre outras com aquilo que os assaltantes quiseram levar do banco.
Imagino que hoje nos blogues de muitos este será um acontecimento comentado e debatido. Não tenho pretensão de ter alguma razão, tenho sim direito a opinião. Aquela triste transmissão não era uma notícia, não era informação.
Hoje, na net, os vídeos que entretanto se fizeram e que estarão por aí a circular serão, seguramente, um êxito.

Top 5's - Introdução

Gostei bastante deste filme com John Cusack, já lá vão uns anitos.
Reúne um bom actor com outros bons actores, um tema ligeiro (bom para um serão agradável) e muita, muita música pop.
A personagem principal passa a vida a fazer Top 5's de todos os assuntos possíveis e imaginários. O meu "Top 5" preferido é este.
Se vocês soubessem como gosto desta cena... por que há um pormenor que retrata tão bem a minha pessoa ;-)

Nesta sequência, acho que vou iniciar em breve uma "rubrica" - Os meus Top 5's [de tudo e mais alguma coisa]. O que acham?

A sabedoria popular...

diz que Casa roubada, trancas à porta.
E será que já se pensou que para além do vil metal, dentro dos tribunais existem centenas de processos, de documentos, dos quais depende a vida de muito boa gente? Isto é uma anedota, certo?

Que tristeza...

Há noticias que me espantam pela demonstração tácita da estupidez e mesquinhez humana.
Alguém decidiu clonar o seu cão já morto. Como se não houvessem tantos cachorros/cães por esse mundo fora à espera de amor e carinho. Lá na minha rua há um ou dois bem bonitinhos e, de certeza, desesperados por alguma atenção.

Hoje por cá...

Para ouvir e ouvir até não poder mais...
Nina Simone

Birds flying high you know how I feel
Sun in the sky you know how I feel
Reeds driftin on by you know how I feel

Its a new dawn
Its a new day
Its a new life
For me
And Im feeling good

Fish in the sea you know how I feel
River running free you know how I feel
Blossom in the tree you know how I feel

Dragonfly out in the sun you know what I mean, dont you know
Butterflies all havin fun you know what I mean
Sleep in peace when day is done
Thats what I mean

And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine you know how I feel
Scent of the pine you know how I feel
Oh freedom is mine
And I know how I feel

Obama e McCain empatados, diz sondagem

Esta segunda-feira já começou com uma má notícia, aqui.
Vamos ver o que o tempo reserva, mas já tive mais esperança numa mudança.

Lost em 8 minutos... ;-)

Para quem, como eu, nunca conseguiu seguir a série na televisão, aqui está Lost em 8 minutos.
Enjoy...
Bom fim-de-semana.

De ontem...

Na minha sincera opinião: um exagero a comunicação à nação.
Não porque pense que o assunto seja de pouca importância, mas porque considero que sendo um tema eminentemente de jurisprudência com fortes consequências politicas, podia e deveria ser discutido junto das instituições competentes.
O tom foi pesado o que mostra bem, a meu entender, as tensões que existem entre Belém e o Governo de Sócrates.
Silly season...

Hoje, pelas 20h

O Sr. Presidente vai hoje falar à Nação.
Pelas 20h... o que será que aí vem?
Algumas possibilidades:
- Demissão do Governo, (nah...)
- Justificar o injustificável, (as usual)
- Dizer o óbvio sem apresentar soluções (típico)
- etc, etc...
Mas deve ser importante, visto que as férias foram interrompidas, não é?

Vamos ver... amanhã talvez haja desenvolvimentos.

PS: desculpem, se vos pareço um pouco amarga... pois gostaria mesmo que tivesse parecido mesmo MUITO amarga.

Gayatri Mantra

Shiva como Nataraja.

Ontem, durante a nossa prática (yoga) tocou um dos mantras que mais gosto.
Foi inspirador e ainda hoje ecoa por aqui.

OM BHUR BHUVAH SVAHA
(OM) TAT SAVITUR VARENYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

podem ouvir, se interessados, interpretado por Deva Premal.
Belo, não acham?

sem título

Porque as coisas acontecem quando tem de ser, porque não podemos acelerar o ciclo da natureza, porque há coisas que acontecem ou não independentemente da nossa vontade ou desejo. Porque fazemos parte de um todo que é maior do que a soma das partes, porque por vezes 1+1 não é necessariamente igual a 2, porque há mais do que preto e branco... porque a vida não pode ser planeada.

Uma frase sábia que me acompanha ultimamente:
God grant me the serenity to accept the things I can not change
Courage to change the things I can
And the wisdom to know the difference

e esta música...

Em breve espero poder explicar a razão deste desabafo.

É um GPS destes que faz falta ao pessoal

A gasolina e o gasóleo baixaram, respectivamente 0.04€ e 0.03€. Esta diminuição ocorreu ontem na Galp e, segundo ouvi na rádio, a BP promete baixar em breve também os seus valores.
Considerando que o preço do pretróleo baixou à uma semana ou duas e que só agora isto teve algum reflexo no PVP, é de questionar a actividade das petrolíferas, do governo e da autoridade para a concorrência. Nós cá andamos sem muito questionar, a viver como alguns acham que devemos viver.
Por isso, se quiserem oferecer-me uma prenda em breve que tal um GPS de última geração?

Hoje foi assim...


E esta semana promete muito trabalhinho por cá... ai!

in www.garfield.com

Humor #3


Ziggy by Tom Wilson & Tom II in



Ai, so true.

Boas notícas... para quem?

Nos gelos do Árctico esconde-se 13 por cento do petróleo ainda não descoberto (...)
"Boas notícias"... para quem?

Bom fim de semana :)

Um filme... a rever, em breve, por estas paragens

Um dos filmes da minha vida é Merry Christmas Mr Lawrence de 1983.
Vi este filme, pela primeira vez, na escola secundária numa semana dedicada ao cinema, 10º ano de escolaridade.
Lembro-me de uma história que me sensibilizou, que me apaixonei por David Bowie e que a música, uma canção em particular, não parava de ecoar dentro da minha cabeça.
A banda sonora foi gravada em suporte K-7 e há muito que não sei dela, mas figura num dos CD's de David Sylvian.
Ainda hoje esta música tem o poder de me enfeitiçar. Um clássico.





Os 3 P's

Radovan Karadzic: Poeta, Psiquiatra e Político.
Foi capturado, finalmente, ao fim de mais de 10 anos.
Que seja feita justiça é o que todos desejam, que sejam levados à justiça todos aqueles que comentem crimes em nome de qualquer ideal. Mas este é apenas um caso entre muitos.
Neste caso um derrotado numa guerra infame e em que, seguramente, se cometeram idênticas atrocidades do lado dos vencedores (será que esses serão alguma vez julgados?). Sim, porque isto da justiça tem muito que se lhe diga, e os vencedores raramente (ou nunca, melhor dizendo) estão isentos de pecado.

Loures [Quinta da Fonte] - Planeta Terra [*.*]

Bom, muito já se falou e irá ainda falar. Das injustiças, das desiguldades, dos erros que são cometidos. Concordo, há muito para fazer, um longo caminho a percorrer, mas há limites que ultrapassam toda a boa-vontade-politicamente-correcta que me caracteriza nestas situações.
Espero que o governo não ceda às pressões da comunidade cigana. Se ceder o que irá acontecer? A cedência não irá resolver em nada uma situação que não aparenta ter uma solução à vista e criará, seguramente, ainda mais injustiças, pois haverá muito boa gente que quer sair de onde está e não pode.

Com a voz metida no bolso

E fui ver o filme/documentário sobre os Joy Division.
Recomendo aos fans e a quem goste de música.
Para além da história da banda, um enquadramento historico-social da Inglaterra dos fins dos anos 70. O surgimento da banda, o seu percurso interior [a descoberta do som e da palavra] e o seu percurso nos bares de Manchester. Os primeiros concertos, gravações amadoras, o primeiro álbum, o sucesso, e a luta interna de Ian Curtis com a sua vida pessoal, com a doença e com uma personalidade complexa e exigente.
Quando tocou Loves will tear us apart … a vontade de cantarolar deu lugar a um desejo enorme de gritar aquelas palavras. Mas fiz como as crianças, gritei com a voz metida no bolso.

The Eternal... Ian Curtis

Este fim-de-semana uma sessão de cinema a não perder.

Irei adorar, certamente (sor)rir e deitar uma ou outra lágrima... o mito revisto pelos ex-membros de uma grande banda e nas palavras daqueles que privaram com ele.

[não consigo deixar de pensar que teria hoje 52 anos - feitos no dia 15 de Julho. O que teria feito, o que estaria a fazer?]

Para ouvir e deixar a mente viajar...

God is an astronaut... esta, esta... e depois há tantas outras. É impossível escolher.

Mais aqui onde é possível conhecer os álbuns e ouvir as músicas... a maravilha da www.

Humor #2


Argumento e Desenho: Pedro Couto in www.acefalos.com

natureza (des)[h]umana...

Reflexão #12

Gosto muito de publicidade. É um vicio.
Mas confesso que há anúncios de que não consigo gostar (por mais bem feitos que estejam), pelas mensagens “subliminares” que transmitem, pela eterna reprodução de clichés e de estereótipos sociais (ou de outra índole) que perpetuam.
Cá está um anúncio de uma marca nacional que comprova a minha “teoria” (…) As meninas são educadas para serem vaidosas, arrogantes e superficiais. A publicidade é disso uma prova (…)

Apesar de ser por vezes um pouco critica com o sexo feminino, ou melhor com os estereótipos construídos à sua volta e divulgados como verdades absolutas por elementos do meu sexo, acho que todas as mulheres devem ser respeitadas porque são, antes de mais, seres humanos. E tal como devem ser respeitadas devem dar-se ao respeito, exigi-lo é um dever de todo o ser humano independentemente do sexo, cor, credo, origem social ou tendência sexual. É nesta base que concebo uma sociedade justa... se não para já, para um futuro breve. Acredito na mudança porque há muitas pessoas que juntam a sua boa vontade em projectos válidos. Alguns exemplos aqui e aqui.

Já viram o que um mero anúncio pode fazer?

Não quero deitar foguetes antes da festa...

... mas durante este fim-de-semana o P. começou a ir à sanita para fazer mais do que apenas chichi. Hoje de manhã sentou-se no bacio, fez o seu chichi e disse: mã, vai bora. E eu fui, feliz da vida :)
Alegrias que só uma mãe (pai) compreende, não é?

Quando não temos mais nada em que pensar...

Ainda não tenho a casa dos meus sonhos, nem sei se alguma vez a terei, mas isso não é um drama… até lá vou sonhando com aquilo que poderia fazer, de que forma poderia concebê-la e organizá-la, como a poderia decorar… coisas irreais mas que fazem sonhar. (e o sonho comanda a vida, não é?)
Em Portugal há alguns fornecedores, mas foi num site de uma empresa espanhola que descobri alguns mosaicos lindíssimos, e um simulador online que permite definir área, escolher o motivo e cores base e desenhar aquilo que imaginarmos (nota no simulador não estão disponíveis os mosaicos contemporâneos, logo não pude brincar com estes que tanto gosto).

Ah, já perdi uns bons minutos neste exercício… O pior é que as combinações são infindáveis, logo acho que se a casa de sonho aparecer, provavelmente eu estarei ainda no drama do que escolher para o chão e paredes. E nisso vocês sabem como nós mulheres somos complicadas e indecisas, não é?
Mas ficam alguns exemplos. Gostam mais de qual? Vamos a votos…


Opção A (v1)



Opção A (v2)


Opção B


Opção C


Opção D

Hoje faz anos o meu PAI

Faz hoje 66 anos que nasceu o meu pai. Para ele um beijinho muito especial.
Um algarvio de Portimão como ele diz, com um amor pela sua terra natal como nunca vi.

Pai, desejava que a vida te tivesse dado a oportunidade de aproveitar mais a pessoa que és, que o teu coração não se tivesse sentido tão preso nesse teu mundo tão especial. Mas mesmo assim tens dois filhos que gostam muito de ti (apesar das picardias) e alguém que esteve sempre a teu lado… desta tua filha mais velha, uma declaração de amor: AMO-TE PAI.

Esclareço já que...

... esta semana o meu signo auspicia o seguinte:

ESCORPIÃO semana de 13 a 19 de Julho de 2008
Carta dominante: IIII O IMPERADOR
O IMPERADOR perspectiva uma enorme capacidade de influenciar os outros e atingir objectivos. Semana em que conseguirá dominar problemas e conjunturas.
PLANO AFECTIVO: Progressos neste plano, desde que seja realista e justo. De facto as atitudes super passivas ou prepotentes serão apenas entraves. Conflitos provocados por amigos podem surgir.
PLANO ECONÓMICO: Favorecidos os contactos negociais, já que esta semana não corre o risco de ser enganado, embora possa fazê-lo. Podem tentar afastá-lo do centro dos acontecimentos mas sem êxito. Na saúde semana pautada por nervosismo.

Talento #2

Não são lindos?
Há pessoas que tem realmente um dom e é agradável ver o resultados dos seus projectos.
Aconselho a visita para mais detalhes aqui. Acho que este inverno vou ter umas assim... quem sabe ;-)
Bom fim-de-semana.

Belo #1

Crisântemos por Keika Hasegawa (1893)

There lies a hope that I have found (...)

8:55 Ponte Vasco da Gama. A caminho de Lisboa. Um dia bonito, céu limpo de um azul claro. Lisboa é tão bonita de longe.
Algum trânsito. No carro, sozinha, com a música a tocar alta, relativamente alta… um disco de 89 toca e de repente estou sozinha. Podia avançar assim para sempre, com a música a tocar. O pé no pedal acelera um pouco mais e sinto-me feliz, serena. À minha frente uma estrada infindável, dali posso ir para qualquer lado… e no fim, no fim, o vazio, azul celeste em que me precipitaria para sempre… conseguiria planar, o vento nos cabelos e dançaria, rodopiaria em movimentos lentos ao som desta e desta.
___
Há uns tempos atrás o meu amigo H. perguntou-me qual é a minha relação com a música e eu tentei responder-lhe. Como a Música é um tema recorrente neste blog acho que vale a pena registar aquilo que lhe respondi, porque a forma natural como as palavras saltaram para o teclado, ao lê-las hoje, penso que não poderia ter descrito melhor aquilo que me atrai na música. E hoje mais uma vez aquilo que ouvi teve um poder enorme sobre o meu estado de espírito.
Há uns meses atrás escrevi:
Para mim (a Música) é a arte mais bela, oiço música com um ouvido crítico e simultaneamente emocional. Mexe comigo, sempre teve esse poder de me transportar para outras dimensões. Com a música assumo várias personagens e estados de espírito, não posso explicar… é algo visceral, por vezes é complicado os outros perceberem o porquê.
Gosto de pensar que esta minha ligação à música, e este meu interesse por música, vem do meu avô e bisavô maternos que foram músicos numa banda. Não sei. Pode ter sido, igualmente, do meu pai que também gosta de música e da minha mãe: lá por casa ouvíamos muito Zeca Afonso, MBP e musica pop à farta.
Em pequena, como andei 6 anos no ballet ouvia alguma música clássica, mas hoje é raro (a minha mãe gosta de ópera – eu nem por isso, mas isso sei explicar, porque para mim a música é também Palavra, e eu só costumo gostar de uma música quando a Palavra é percebida e a mensagem assimilada).
Mas, nem sempre sou congruente pois nalguns grupos de que gosto não é a Palavra que me atraí mas a Voz sussurrada e que deixa à nossa imaginação o texto que acompanha o som dos instrumentos, por exemplo, Cocteau Twins e Sigur Rós.
Depois, tenho os incontornáveis DM, que para mim são ainda, em muitas das suas músicas, uma espécie reduto da minha alma, basta-me ouvir alguma música para retemperar forças, encontrar algum sentido nalguma coisa (…).
Actualmente, sou curiosa, acho que se faz muito boa música mas é necessário procurá-la e gosto da criatividade musical. Acho que sou ecléctica, não acho que só nos anos X ou Y é que se fazia boa música… talvez seja tudo mais efémero (agora). Mas de facto os anos 80 para mim são incontornáveis: DM, The Cure, Cocteau Twins, This Mortal Coil, Bauhaus, Joy Division, New Order, Smiths… são tantos.
Adoro vozes femininas (…).
Mas, também gosto da música só para dançar. Gosto tanto de música que não sei viver sem ela, faz parte de mim.
Não sei porque oiço música, só sei que não posso deixar de a ouvir.
Como é que oiço música? Everywhere if possible.
Oiço música e sinto a música. Oiço-a em repeat até quase enlouquecer (ou enlouquecer quem está comigo). O género musical flutua, é cíclico, vou rodando…