Filhos

Não me assusta o passar do tempo (para já). Não me assusta saber que se avizinham tempos em que ao espelho procurarei os sinais da minha juventude (para já). Não me assusta imaginar que um dia não haverá um próximo (para já).
O que me assusta?
Esquecer o rosto dos meus pequeninos, olvidar os pormenores das suas feições, à medida que crescem. O cheirinho dos seus corpos, as palavras inusitadas que despertaram espanto, risos e gargalhadas, por vezes contidas. Do tempo que passamos juntos.
Sofro por antecipação. Porque os filhos não são nossos, nós é que lhes pertencemos (até eles quererem).

Porque raio é que eu penso nestas coisas?

3 notas:

Priscila disse...

Olá.Estou a navegar na internet e acabei desobrindo o seu blog.Têns coisas bastante interessantes.Adorei conhecer o seu cantinho.
Voltarei mais vezes.
Bjs,Pri

TC disse...

Essas "coisas" talvez sejam o sentimento "saudade" de que tanto falamos mas que não o vemos - é um processo de maturidade (digo eu!).
Um grande beijo de uma amiga que também sofre por antecipação (muitas vezes). TC

MJL disse...

Olá TC :)
bjs grandes