1 Mês

O J. está a dormir. Faz hoje, às 23h11m, 1 mês de vida.
É um bebé relativamente calmo (comparado com o P.).

Há 1 mês atrás, acordei por volta das 6h da manhã com umas dores de 10 em 10m.
Como já não era a 1ª vez, disse ao R. que talvez fosse o dia.
Despachamos o P. para a escola e fomos caminhar para ver se a situação se desenvolvia.
Pelas 11h liguei à minha médica que me aconselhou a dar um pulo ao Hospital. Lá fomos, mas sem sinais de qualquer dilatação, apesar das dores, mandaram-nos para casa.

Às 17h já não aguentava mais e regressamos ao Hospital. Ainda sem dilatação, mas com dores fortes, a médica disse que eu ficaria.
Depois dos preparativos lá fui para a box.
As enfermeiras de roda de mim iniciariam uma serie de procedimentos que me assustaram: retiraram o rolhão mucoso, faziam toques muito mauzinhos e rebentaram a bolsa... tudo para despachar.
A dilatação tardava, só pelas 19h é que a coisa começou a desenvolver-se, e pelas 20h30 tive direito à epidural, mas a dita não teve grande efeito pois a vontade de fazer cocó era incontrolável. Problema!!! Como a dilatação não estava completa o útero começou a fazer edema, logo duas médicas começaram a pensar em cesariana... socorro, depois de tanta coisa uma cesariana??

Por volta das 23h uma enfermeira, que até então não tinha visto, entrou e perguntou-me: está com vontade de fazer cocó? Sim, sim, mas disseram que ainda não posso fazer força, respondi. Após mais um toque a observação foi: Ah, mas isto é para já. Chamou uma colega que retirou a parte de baixo da cama, colocaram as minhas pernas nos suportes e assim que ela disse que eu podia fazer força, com apenas 2 puxões a cabecinha do J. apareceu... foi tudo tão rápido que a enfermeira nem teve tempo de mais nada apenas de agarrar na criança pois com mais 2 puxões ele já estava em cima da minha barriga.

Foi uma sorte o R. ter assistido ao nascimento do filho, minutos antes da enfermeira entrar na box ele tinha saído e regressou já quando estavam a retirar a parte de baixo da cama.

Aquilo que eu gostaria de descrever - a alegria, a felicidade que senti ao ver o meu J. ali em cima de mim, tão pequenino, tão sujinho, a chorar - não consigo, não sei. Esta descrição está assim incompleta, mas todos aquela(e)s que já passaram por isto saberão muito bem o que eu gostaria de conseguir escrever.

Esta foi a segunda vez que a minha vida mudou para sempre...

4 notas:

Carla Morais disse...

:'-)
Beijinho grande!

Tana disse...

Tão maravilhoso momento... agora sei o que é!!
Beijos e obrigada pelo comentário às fotos!

cristina salvador disse...

A minha também mudou :)*
bj

HJF da Silva disse...

É lindo o teu J.! Parabéns!